História de Canedo - Ribeira de Pena

História

Canedo, freguesia do Concelho de Ribeira de Pena, localiza-se no vale do Rio Beça, estendendo-se até ao Tâmega, entre os montes de Lesenho a Norte, Santa Comba a Nascente, e Alto do Pinheiro a Poente. Detentora de uma área de 39,46 quilómetros quadrados a freguesia de Canedo é formada pelos lugares de Alijó, Canedo, Penalonga e Seirós, tendo como freguesias limítrofes Vilar de Porro, Viveiro, Santa Marinha, Fiães do Tâmega. Curros, Covas do Barroso, codeçoso e Parada de Monteiros.

 

É a freguesia mais afastada de da sede do concelho, da qual dista cerca de 25 quilómetros.

O povoamento do território que actualmente constitui a freguesia iniciou-se bem cedo, como se comprova com os vestígios de um reduto castrejo, lusitano ou romano, em Penalonga. Nesta povoação destaca-se ainda um enorme penedo, provavelmente pré-histórico. Os naturais deste lugar dizem que o topónimo Penalonga se deve àquela pedra, uma vez que o primeiro elemento do termo – “pena” – tem o sentido de fortificação.

De facto, tudo leva a crer que toda esta área sofreu a influencia de povos primitivos e posteriormente de romanos.
Em Canedo existiram, em tempos, oito minas de estanho: Alto da Piteira, alto das Chãs, Barreiras, Corga das Andorinhas, Corga dos Guilherme, Corga Presa, Monte do Cavaleiro e Seriz. No entanto, não se sabe qual a sua origem, e quando deixaram de ser exploradas.

  

Em 27 de Maio de 1258, D. Afonso lll concedeu foral a Canedo. Nesse mesmo ano, as inquirições ordenadas pelo monarca referem já a freguesia de Canedo e o seu novo estatuto.

Em tempos, pertenceu à comarca de Bragança, termo de Montalegre, como uma reitoria da apresentação dos Frades Bentos do Convento de S. Miguel de Refojos de Basto. Pertenceu ao concelho de Montalegre até 1839, e a partir de 1895 ao de Boticas.
O topónimo Canedo tem duas origens possíveis: uma relacionada com uma antiga medida de líquidos, a canada, eoutra associada aos caminhos entre paredes ou estacas nos rios e ribeiros para o gado atravessar.

 

Segundo o parecer emitido em 14 de Novembro de 2000, pela Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses, o Brasão da freguesia de Canedo apresenta “escudo de ouro, um espigueiro de vermelho entre o relógio de sol negro, realçado de prata, em chefe e três montes de verde, firmados nos flancos e moventes de uma planície ondada de prata e azul de quatro tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel Branco, com a legenda a negro: «CANEDO – RIBEIRA DE PENA» “. A Bandeira é “verde, Cordão e borlas de ouro e verde. Haste e lança de ouro”.