Freguesia
Noticias
História
Galeria
Tradiçoes
Locais de Interesse
Informações
Localização
Livro de visitas
Autarquia
Orgaos autárquicos
Obras
Painel informativo
Contração pública
Heráldica
Contactos
 
 
História
 

Canedo, freguesia do Concelho de Ribeira de Pena, localiza-se no vale do Rio Beça, estendendo-se até ao Tâmega, entre os montes de Lesenho a Norte, Santa Comba a Nascente, e Alto do Pinheiro a Poente. Detentora de uma área de 39,46 quilómetros quadrados a freguesia de Canedo é formada pelos lugares de Alijó, Canedo, Penalonga e Seirós, tendo como freguesias limítrofes Vilar de Porro, Viveiro, Santa Marinha, Fiães do Tâmega. Curros, Covas do Barroso, codeçoso e Parada de Monteiros.

    

É a freguesia mais afastada de da sede do concelho, da qual dista cerca de 25 quilómetros.

O povoamento do território que actualmente constitui a freguesia iniciou-se bem cedo, como se comprova com os vestígios de um reduto castrejo, lusitano ou romano, em Penalonga. Nesta povoação destaca-se ainda um enorme penedo, provavelmente pré-histórico. Os naturais deste lugar dizem que o topónimo Penalonga se deve àquela pedra, uma vez que o primeiro elemento do termo – “pena” – tem o sentido de fortificação.

De facto, tudo leva a crer que toda esta área sofreu a influencia de povos primitivos e posteriormente de romanos.
Em Canedo existiram, em tempos, oito minas de estanho: Alto da Piteira, alto das Chãs, Barreiras, Corga das Andorinhas, Corga dos Guilherme, Corga Presa, Monte do Cavaleiro e Seriz. No entanto, não se sabe qual a sua origem, e quando deixaram de ser exploradas.

    

Em 27 de Maio de 1258, D. Afonso lll concedeu foral a Canedo. Nesse mesmo ano, as inquirições ordenadas pelo monarca referem já a freguesia de Canedo e o seu novo estatuto.

Em tempos, pertenceu à comarca de Bragança, termo de Montalegre, como uma reitoria da apresentação dos Frades Bentos do Convento de S. Miguel de Refojos de Basto. Pertenceu ao concelho de Montalegre até 1839, e a partir de 1895 ao de Boticas.
O topónimo Canedo tem duas origens possíveis: uma relacionada com uma antiga medida de líquidos, a canada, eoutra associada aos caminhos entre paredes ou estacas nos rios e ribeiros para o gado atravessar.

    

Segundo o parecer emitido em 14 de Novembro de 2000, pela Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses, o Brasão da freguesia de Canedo apresenta “escudo de ouro, um espigueiro de vermelho entre o relógio de sol negro, realçado de prata, em chefe e três montes de verde, firmados nos flancos e moventes de uma planície ondada de prata e azul de quatro tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel Branco, com a legenda a negro: «CANEDO – RIBEIRA DE PENA» “. A Bandeira é “verde, Cordão e borlas de ouro e verde. Haste e lança de ouro”.

 
 
 
 
 
 
 
[+|-] Energica